18 de Fevereiro de 2019 - 04:39
24/12/2018 - 21h15 NINJA NA REDE

ESPÍRITO NATALINO: políticos comemoram o Natal e nas redes sociais enviam mensagens para os paraibanos – CONFIRA

Por Blog do Ninja

Os políticos paraibanos aproveitaram a véspera de Natal para desejar aos eleitores votos de felicidade.

Pelas redes sociais inúmeras foram as mensagens postadas por diversas lideranças políticas do estado, incluindo algumas reflexões acerca da data.

O Blog do Ninja selecionou algumas, confira:

João Azevêdo

Lucélio Cartaxo

Galego Souza

Bruno Cunha Lima

View this post on Instagram

A história conta que um missionário jesuíta chamado Matteo Ricci viajou para a China durante o século 16 para levar a boa nova de Cristo. Em uma época de poucos recursos e uma nação que era pouco familiarizada com a história de Jesus, Ricci achou por bem levar algumas gravuras de arte religiosa com o intuito de ilustrar a narrativa cristã. Os chineses logo adotaram e criaram afeição pelos retratos da virgem Maria e de José ladeando seu filho recém nascido. No entanto, quando o jesuíta apresentou os quadros da crucificação e tentou explicar que aquele Deus-menino, que antes era retratado ao lado da família, tinha crescido e sido executado, quem assistia reagia com certo horror. Eles preferiram a cena da virgem e da criança à cena do Deus-homem crucificado. Olhando nossos antigos cartões de Natal, as imagens compartilhadas nas redes sociais e nosso calendário, percebemos que nós, em países ‘cristãos’, fazemos praticamente a mesma coisa. Nada contra a festa, as árvores e as luzes, pelo contrário, sou daqueles que #amam as #boastradições, sou daqueles que tentam ressignificar a existência dessas tradições ao invés de condená-las. Mas, como cristãos, precisamos pensar mais sobre as nossas escolhas e o que elas geram em nós: temos relativizado a vida, os ensinamentos e o sacrifício de Jesus! Isso traz consequências catastróficas. . Quando os “cristãos” decidem celebrar com maior ênfase um dia “santo”, fica claro que esse dia é o Natal e fazemos isso de forma lúdica, limpa de qualquer insinuação de “escândalo” ou de qualquer menção a alguma coisa que possa tirar o “brilho” da festa. Acima de tudo, tiramos dele qualquer lembrança de como a história iniciada em Belém, na manjedoura, com bichinhos e uma criança, foi terminar fora dos muros de Jerusalém, no Calvário, com um “homem” surrado, ensanguentado e crucificado. É bom comemorar o Natal, é uma data linda, que simboliza o dia em que o verbo se fez carne e veio habitar entre nós, é a manifestação do Emanuel (Deus conosco). No entanto, o ápice da vida humana de Cristo não foi fazer-se carne, mas fazer-se pecado por mim e por você, mesmo sem ter cometido. O auge do amor de Cristo não foi nascer, foi morrer. . (Cont ⬇️)

A post shared by Bruno Cunha Lima (@brunocunhalima) on

Gervásio Maia

Genival Matias

Hervázio Bezerra

Helton Renê

Marcos Vinicius

José Maranhão

Aguinaldo Ribeiro

Share

Henrique Lima

É graduado em Comunicação Social e Licenciatura em História pela UFPB e Bacharel em Direito pela Faculdade Maurício de Nassau. Amante dos bastidores da política, há sete anos atua como repórter do programa Correio Debate, na rede Correio Sat.

Contato